A Super Mulher e os desafios da dupla jornada: colunista Ronara Lasmar faz uma abordagem sobre o assunto

Olá!

Como eu havia prometido no artigo anterior, hoje darei algumas dicas para as mulheres conciliarem a família e o trabalho de uma maneira mais saudável. 

Porém, antes gostaria de propor um desafio. Se você é uma dessas mulheres, me responda com sinceridade:

1 – Você está sempre ocupada e nunca tem tempo para si mesma?  

2-  Você se sente culpada quando pensa em tirar um tempo para si mesma?

3 – Você não gosta de delegar tarefas, pois acredita que é sua responsabilidade fazer as coisas?

4 – Você tem dificuldade em dizer não quando lhe pedem para fazer algo?

5 – Às vezes se sente frustrada porque as pessoas não reconhecem seus esforços?

Se a sua resposta foi sim para a maioria das perguntas acima, você padece da síndrome da SUPER MULHER. Assim como você, muitas mulheres que padecem desse mal e querem ser perfeitas em tudo: no trabalho, em casa, com os amigos, com os parentes e esquecem de si mesmas, colocando em risco sua saúde física e mental devido aos altos níveis de cobrança, estresse e frustração.  

Para desmitificar esse mito o primeiro passo é: desapegar.

Desapegar dos sentimentos que motivam você a agir como uma SUPER MULHER (como por exemplo, se sentir importante, necessária e até mesmo querida e amada por todos).  

Desapegue dos conceitos de sucesso, dos estereótipos criados por uma sociedade “analógica”, assim como os conceitos de “empoderamento” que foram distorcidos pela sociedade moderna.

O que importa aqui é você como ser humano. Uma pessoa, como outra qualquer, que pode se cansar, fracassar, querer colo ou precisar de ajuda… E para isso, é preciso dar o segundo passo: se permitir e se respeitar.

O terceiro passo é a boa gestão do tempo. O tempo é um recurso finito e se tornou o sonho de consumo de todos os profissionais. Para gerenciar o seu tempo com mais facilidade, uma dica é classificar suas atividades diárias pelo grau de impacto sobre seu objetivo profissional, pessoal e familiar.

Por exemplo, se você já possui clareza de objetivos profissionais, pessoais e familiares, classifique as suas atividades diárias de acordo com o impacto que elas têm na realização dos objetivos. Se pergunte, por exemplo: “isso contribui para eu e minha família caminharmos rumo ao nosso objetivo?”. Se sim, coloque essa atividade em sua agenda como prioridade. Faça o mesmo com outras atividades diárias e classifique-as em médio impacto, baixo impacto, delegáveis e elimináveis. 

Por fim, o último passo é voltar a sonhar! Ter sonhos, alimentá-los e dar passos em direção à sua realização lhe dará motivação, energia e coragem para implementar as mudanças necessárias e aumentar sua capacidade de adaptação.

Não será um caminho fácil, todas nós sabemos disso. Mas essas são somente algumas dicas e sugestões que você pode adaptar para sua realidade. 

O importante é você não se acostumar e se conformar com o que não tem lhe feito bem.

Desejo uma boa semana para todas vocês! E se gostarem desse artigo, compartilhe conosco seus comentários.

Grande abraço!

Ronara

4 thoughts on “A Super Mulher e os desafios da dupla jornada: colunista Ronara Lasmar faz uma abordagem sobre o assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *