Administradora conta como é trabalhar em uma multinacional do agronegócio

Esta semana conversamos com a administradora Cyntia Opa, de 37 anos, que atualmente reside em Catalão/GO e atua em uma multinacional do agronegócio. Quer saber como foi a trajetória da Cyntia para alcançar seus objetivos pessoais e profissionais? Confira a entrevista!


COMO ESCOLHEU SUA PROFISSÃO?
Tenho formação em Administração, mas já há 12 anos trabalhando em uma multinacional do segmento agro desenvolvi competências técnicas no ramo que me dão grande satisfação  pessoal, profissional e um total alinhamento com meus valores de vida. Acreditar  que através do meu trabalho estou contribuindo para a importante missão de alimentar o mundo traz um sentimento de relevância maior, afinal, nada melhor que exercer nosso papel como indivíduo contribuindo mutuamente uns com os outros, né?

COMO FOI A SAÍDA DA UNIVERSIDADE PARA O MERCADO DE TRABALHO?
Após participar de alguns processos seletivos para Programas de Trainee (meu objetivo principal na época) em que não conseguia passar pelas provas de inglês, decidI fazer um intercâmbio para adquirir proficiência no idioma. Retornei após 8 meses e consegui finalmente uma posição numa empresa multinacional como planejado. E esta experiência me mostrou que para alcançar meus objetivos profissionais teria que estar atenta às necessidades de conhecimento que cada função almejada exigia e assim mantive o foco nos estudos técnicos e no desenvolvimento de competências pessoais. Fiz 2 MBA’s, treinamentos in company para Liderança, cursos online em instituições de renome e mantenho a busca por novos conhecimentos para que possa continuar minha jornada rumo ao meu propósito de chegar a uma posição executiva.

EM QUE CONSISTE O SEU TRABALHO ATUAL?
Hoje gerencio projetos estratégicos dentro da Companhia nas áreas de Supply Chain e Produção das culturas de Milho, Soja e Sorgo. Faço a execução e mentoring de projetos 6Sigma e LEAN para aumento da eficiência, produtividade e redução de custos (através do uso de ferramentas como Value Stream Mapping, Kaizen, SMED, Root Cause Analysis, Process Capability entre outros), e sou responsável por fazer o alastramento de iniciativas globais na América Latina. Além de trazer savings para a empresa o foco da função é também estabelecer a Excelência Operacional dos processos.

ENCONTROU DIFICULDADES EM SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL POR SER MULHER ?
Não posso dizer que em algum momento me senti preterida em alguma promoção por ser mulher, mas ao mesmo tempo pessoalmente sempre me empenhei em entregar o melhor resultado possível. Acredito que em empresas profissionalizadas o mérito por alta dedicação e entrega não é ignorado, independentemente do gênero. Por isso, optei em não me colocar em uma posição vulnerável ou vitimista, ao contrário, arregacei as mangas e trabalhei duro para que meu trabalho fosse reconhecido e não deixasse dúvida sobre minha competência e potencial para assumir novos projetos.

TEM ALGUM CONSELHO PARA DAR ÀS MULHERES QUE ESTÃO NO CAMPO HOJE?
O meu conselho é que as mulheres tomem seu destino pelas mãos, nós, e somente nós, somos responsáveis pelas nossas vitórias e fracassos. Então faça uma auto-análise de quais são suas fortalezas e oportunidades e onde quer chegar, a partir daí trace um plano de trabalho pessoal e vá à luta. Não há sucesso sem dedicação e empenho e não há profissional bem preparado que não alcança seus objetivos. Se no que está fazendo agora você não tem reconhecimento, avalie se de fato já fez todo o possível e necessário para tê-lo e se a resposta for sim, então você deve estar no lugar errado! Procure o seu espaço, sem medos, se desafiando… deixando a zona de conforto nos fazemos maiores. Não se preocupe com o fato de ainda haver injustiças de oportunidades ou de remuneração para as mulheres, foque no seu desenvolvimento e capacitação que o sucesso virá como consequência natural aos que perseveram.

Apoio


 

 
 

&nbs;

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *