Conheça Andrieli Leão, engª agrônoma que atua com rastreabilidade bovina no MT

Posted On By admin

O terceiro artigo da série Mulheres na Pecuária vai mostrar a história de Andrieli Leão, uma engenheira agrônoma que atua com rastreabilidade bovina, em Rondonópolis, no Mato Grosso. Confira a entrevista!

QUAL A SUA LIGAÇÃO COM O CAMPO?

Meu avô por parte de mãe tinha uma fazenda em Goiás, venderam e compraram em uma pequena cidade no interior do Mato Grosso chamada Planalto da Serra e a principal atividade era a criação de vacas de leite.

Depois que meu avo faleceu, a fazenda foi dividida pelos sete irmãos, sendo que a sede ficou com minha mãe. Como nos mudamos para Rondonópolis-MT, a fazenda fica aos cuidados de meu tio, mas a intenção de meus pais é retornar à fazenda e recomeçar nossa criação. Meu avô paterno também possuía uma fazenda em Bom Jardim de Goiás – GO, cidade em que meus pais se conheceram.

Passei minha infância tomando Camargo no curral com meu avô por parte de mãe, por isso meu amor pelo campo foi crescendo de forma natural e eu tinha convicção que seria sempre assim.

Comecei a faculdade de Engenharia Agronômica em Rondonópolis-MT em 2003, me formei em 2007, e em 2009 recebi um convite para trabalhar em uma empresa de rastreabilidade bovina chamada Pantanal Certificadora e Identificadora de Produtos Agropecuários Ltda, onde trabalho até hoje

EM QUE CONSISTE O SEU TRABALHO?

A Pantanal é credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento – MAPA, no escopo de Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos – SISBOV, instituído pela atual IN Nº17 de 13 de julho de 2006 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Credenciada desde 2005 pelas Portarias: No 224, de 21/10/2005; e No 310, DE 21/06/2010.

As atividades que desenvolvemos são: visitas técnicas a propriedades para realização de vistorias ligadas ao SISBOV.

As vistorias são periódicas (seis em seis meses, ou de 60 dias no caso de confinamentos), sendo necessário realizar a conferencia dos animais (por amostragem) de toda propriedade, para verificar se estão com os elementos identificadores presentes em suas orelhas e se estão em bom estado, verificamos também se as características informadas no sistema são de acordo com o físico, ou seja, se a raça, idade e sexo inseridos na numeração do brinco, estão realmente de acordo com as características do animal em questão. Posteriormente é realizada uma conferência na documentação que o produtor deve manter arquivada na propriedade como: (GTAs de entradas e saídas, mortes, transferências, nascimentos).

Acompanho as auditorias oficiais realizadas pelo Ministério da Agricultura ou INDEA, para fins de relatar as conformidades e/ou não conformidades da propriedade de acordo com a Instrução Normativa Nº17 DE 13 DE Julho DE 2006.

O produtor que escolhe ter sua propriedade rastreada, poderá vender seus animais tendo um bom diferencial por @, pois a União Europeia só compra gado se for rastreado.

ENCONTROU ALGUMA DIFICULDADE POR SER MULHER E ATUAR NESSA ÁREA?

Tive muita dificuldade no início por estar num ambiente onde 90% era só homens. Eu tenho que viajar a maioria das vezes sozinha por esse Brasil, de carro, e dependendo da fazenda, eu preciso dormir nos alojamentos e trabalhar no curral com o pessoal. Então, no começo não era muito normal você ver uma mulher fazendo esse trabalho, alguns homens não aceitavam ter de conviver comigo e principalmente ter de fazer o que eu solicitava.

Já ouvi muitas piadinhas, muitas risadas e até mesmo alguns desaforos, e tive que ter muita força de vontade e pulso firme para poder ter o respeito e o reconhecimento que tenho hoje.

O que mais me orgulha, é chegar na fazenda de um cliente e ver que ele contratou uma mulher para cuidar de seu rebanho, ou que sua filha ou esposa estão tomando conta dos negócios. Isso me enche de satisfação e alegria.

QUAIS SUAS PERSPECTIVAS PARA O CENÁRIO DA PECUÁRIA ESSE ANO?

Espero que esse ano o preço da @ aumente consideravelmente, pois assim o diferencial Europa subirá ainda mais, e teremos mais fazenda na Lista TRACE exportando nossa carne.

TEM ALGUM CONSELHO PARA MULHERES QUE QUEREM ATUAR NESSE SEGMENTO?

Para finalizar, eu gostaria de deixar uma frase que sempre me acompanha, e que pode servir de inspiração para outras mulheres também: “O maior prazer da vida é fazer o que as pessoas dizem que você não é capaz…”.

Mulheres, o lugar de vocês é e sempre será onde vocês quiserem estar, portanto tenham fé, foco, força de vontade e sigam seus corações. Não existe coisa melhor no mundo do que trabalhar com o que se ama.

O mercado de trabalho na nossa área esta finalmente se abrindo para nós mulheres e ele esta apostando muito em nossa capacidade, garra e em nossas estratégias. Sejam as mulheres dos sonhos de vocês, sejam o exemplo para outras jovens. Vamos fazer a diferença!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Redes Sociais
Nossa História

Fundado em dezembro de 2015, o portal Mulheres em Campo é o primeiro site voltado ao desenvolvimento da mulher no agronegócio. Líder neste segmento há quase 3 anos, o portal vem conquistando espaço perante o setor agrícola e pecuário brasileiro. Atualmente conta com apoio de empresas de renome e é o único portal voltado para mulheres que realiza a cobertura do Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio.