Conheça Talita Garcia, uma jovem criadora de Senepol no interior paulista.

Exemplo na pecuária, conversamos com Talita Garcia, que, aos 29 anos é criadora de gado Senepol na cidade de Jaboticabal, localizada a 350 quilômetros da capital paulista. Talita contou sobre sua formação, sobre a vontade de atuar com a pecuária e o cenário nacional do Senepol. Confira! 

QUAL A SUA RELAÇÃO COM O CAMPO? VEM DE FAMÍLIA DE PRODUTORES 
RURAIS?
Sou de família de produtores rurais, meu pai sempre trabalhou no cultivo de cana-de-açucar e gado de corte. Me formei em Relações Públicas e comecei minha carreia na área de Marketing e Recrutamento & Seleção. Morava em São Paulo e comecei a acompanhar de longe o trabalho do meu pai com o Senepol. Em um dos leilões que estive presente me encantei pela raça e passei a pesquisar sobre o assunto. Em 2013, abri mão da minha carreira para voltar para o interior e cuidar do gado.
 
ATUALMENTE ATUA JUNTO À BELA VISTA SENEPOL, COMO SE DÁ ESSE TRABALHO?
Trabalhamos em família, dirijo o criatório junto com meu pai, em Jaboticabal, com foco em melhoramento genético da raça. Não foi fácil no início, como eu não tinha conhecimento e experiência na área precisei estudar, pesquisar e pedir suporte para quem tinha expertise. Lutei para conquistar confiança da família mas hoje discutimos juntos nossos projetos e estratégias de mercado, atuo tanto na área administrativa como do manejo na fazenda.
 

COMO ENXERGA O CENÁRIO DO SENEPOL ATUALMENTE EM NOSSO PAÍS?
Acredito no potencial do Senepol diante da necessidade de ganho de eficiência em produtividade na pecuária do Brasil. Em um país onde a maioria das propriedades utiliza a monta natural para reprodução, o Senepol se destaca como taurino adaptado e precoce com extrema habilidade para cobertura à campo. A heterose obtida através do meio-sangue Senepol permite reduzir o tempo necessário para abate, ter um excelente ganho de peso e facilidade de manejo por seu um gado muito dócil.   

TEM ALGUMA DICA PARA AS MULHERES QUE QUEREM ATUAR NESSA ÁREA?
Pecuária é um setor predominantemente masculino e com um grande número de empresas familiares. Você enfrenta as barreiras do mercado e o conservadorismo dentro de casa, mas encontra na união entre as mulheres incentivo e motivação. Acredito que estar munido de informações e conhecimento, servido de bons profissionais e parceiros são fatores que auxiliam nesse cenário. 

 Entrevista originalmente publicada na coluna Mulheres em Campo, da Revista Agron/outubro2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Redes Sociais
Nossa História

Fundado em dezembro de 2015, o portal Mulheres em Campo é o primeiro site voltado ao desenvolvimento da mulher no agronegócio. Líder neste segmento há quase 3 anos, o portal vem conquistando espaço perante o setor agrícola e pecuário brasileiro. Atualmente conta com apoio de empresas de renome e é o único portal voltado para mulheres que realiza a cobertura do Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio.