Eng. Química conta como é trabalhar em uma empresa de tecnologia agrícola

Julia Paiva Moreira está finalizando a graduação em Engenharia Química, pela Universidade Federal de Minas Gerais, e explanou sobre o trabalho que realiza em uma empresa de tecnologia agrícola que está em ascensão! Quer saber mais? Confira o artigo escrito por ela. 


Queria contar um pouco sobre minha trajetória profissional que não começou há muito tempo. No final de 2017, no meu oitavo período de Engenharia Química, as atividades extracurriculares que eu podia explorar na UFMG estavam se esgotando e eu estava ficando inquieta.

Precisava também de um estágio para formar e me indicaram uma vaga no suporte do setor de Customer Success da Strider. Na época, a Strider tinha apenas 50 funcionários, mas um alto volume de clientes e de áreas monitoradas e, pelo que eu sabia, estava crescendo em uma velocidade absurda. Na minha primeira entrevista já vi que, apesar de um espaço físico super aconchegante, as coisas lá estavam sempre em ritmo acelerado e as pessoas sempre motivadas. Fiquei interessada de cara!

Recebi a notícia da minha aprovação no dia do meu aniversário, mas não fazia ideia do presente que estava ganhando. Comecei uma semana depois, aprendendo coisas novas todos os dias sobre tecnologia, agro e sucesso do cliente.

Aprendi o que é um talhão, que as usinas de cana dão muito trabalho e que a safra de soja era a época de maior correria naquele mundo, que eu não tinha ideia que existia. Aproximadamente 6 meses depois, a Strider foi comprada pela Syngenta, maior empresa de defensivos do mundo, e, com isso, pode se expandir mais ainda. Foi nesse momento que fui contratada como Coordenadora de Suporte. Desde então, tive oportunidade de conhecer ainda mais pessoas incríveis, ir a campo, dar palestras, lidar com orçamentos e fornecedores, entrevistar candidatos, treinar novos membros e aprender muito.

Uma vez escutei do Henrique Prado, Diretor de Customer Success, que a Strider é um atalho. Um atalho não deve ser fácil, é difícil, cheio de buracos, desfiladeiros, problemas inesperados, poucos conseguem passar por ele, mas quem consegue, chega rápido aonde quer. Acho que essa foi a melhor analogia até agora. A Strider permite um crescimento profissional e pessoal muito mais rápido e intenso que em qualquer empresa tradicional, mas isso implica um número altíssimo de responsabilidades e pressão por alta performance. Por me motivar e me desenvolver melhor em ambientes assim, continuo crescendo na Strider. Inclusive, recebi recentemente o desafio de gerenciar o setor de Sucesso do Cliente.

Estaria mentindo se eu não falasse que não estou apreensiva com esse novo desafio, mas estou empolgada e ansiosa por tudo o que está por vir!

Para falar com Julia, acesse: linkedin.com/juliapaivamoreira 

Apoio


 

 
 

&nbs;

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *