Higienização dos equipamentos de ordenha

A pecuária leiteira é um dos maiores setores do Brasil, gerando empregos e apresentando um papel fundamental na economia brasileira. 57,3% dos municípios brasileiros tem como principal atividade o âmbito rural.

A maioria dos produtores brasileiros são de nível médio a baixo, destacando a carência de assistência técnica e o pouco avanço tecnológico. Existem expectativas que os produtores façam uma transição do sistema que atuam para uma produção mais comercial e de alta tecnologia gerando uma perspectiva de mais empregos no setor e aumento no volume de leite produzido.

Como consequência do aumento na produção leiteira, haverá maior exigência pela qualidade do leite, no qual caberá ao produtor adotar medidas de controle da CCS (contagem de células somática) e CBT (contagem bacteriana total) do leite.

Os valores de CCS e CBT são indicativos de sanidade do rebanho e indícios de higiene na produção de leite. Para se alcançar parâmetros de qualidade é necessário uma boa gestão e seguir protocolos adequados na rotina da fazenda.

Um checklist de como higienizar os equipamentos de ordenha e o tanque será apresentado a seguir e algumas informações sobre a manutenção destes equipamentos:

HIGIENE DA PARTE EXTERNA DO EQUIPAMENTO DE ORDENHA

A limpeza manual deve ser realizada duas vezes ao dia, durante toda a semana, é recomendado lavar as mangueiras, a unidade final e teteiras, com o uso de detergente alcalino.

DICA: As contenções também devem ser lavadas por limpeza manual e toda a instalação da sala de ordenha.

HIGIENE DA PARTE INTERNA DO EQUIPAMENTO DE ORDENHA

Análogo à limpeza externa, a limpeza interna com detergente alcalino também deve ser realizada duas vezes ao dia, durante toda a semana, seguindo o protocolo:

  • Sanitizar o equipamento 30 minutos antes da ordenha com água clorada por 10 minutos
  • Após o termino da ordenha, enxaguar o equipamento para a retirada de resíduos
  • Circular o detergente alcalino clorado com água morna (77°C) por 10 minutos

A limpeza com o detergente ácido deve ser feita duas vezes na semana.

  • Circular o detergente por 5 minutos para retirar resíduos de minerais do leite e enxaguar bem para eliminar totalmente o detergente

LIMPEZA DO TANQUE DE LEITE

A limpeza deve ser realizada imediatamente após a retirada do leite para evitar acúmulo de resíduos e formação de biofilmes causados pela presença de microrganismos. É recomendado evitar o uso de material de limpeza que possa danificar o tanque.

DICA: Antes de reutilizar o tanque, lavar com detergente alcalino clorado sem enxague e deixar escorrer bem, isto pode eliminar microrganismos que tenham crescido entre as ordenhas

MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

A manutenção dos equipamentos e do tanque também é fundamental, tanto para se obter qualidade do leite quanto para a sua vida útil. Devem ser examinados os seguintes pontos:

  • Verificar se há rachaduras e ranhuras nas mangueiras de ar e de leite
  • As teteiras devem ser trocadas a cada 2500 ordenhas ou se houver ranhuras e rachaduras, evitando acúmulo de bactérias dentro destas ranhuras e para não comprometer o correto funcionamento da ordenha
  • Verificar se há danos nos copos coletores
  • O vácuo do equipamento deve estar funcionando corretamente, evitando problema de esfíncter dos animais, no qual pode ser porta de entrada para microrganismos
  • Monitorar o nível de óleo lubrificante da bomba da vácuo
  • Verificar o pulsador uma vez ao mês.

Cuidados com o tanque são necessários. É preciso atentar ao funcionamento correto do termostato e a homogeneização do leite dentro do tanque, impedindo seu congelamento.

DICA: Para evitar o crescimento microbiano, o termostato deve manter uma temperatura abaixo de 4°C. Para verificar seu funcionamento, utilize um termômetro bem limpo e afira a temperatura do leite dentro do tanque.

A visita de um técnico para a manutenção do equipamento de ordenha deve ser rotineira.  O bom funcionamento e a limpeza adequada dos equipamentos são medidas fundamentais na busca pela produção de leite de qualidade, os protocolos de boas práticas devem fazer parte da rotina da fazenda para se alcançar bons resultados.

Fonte: Milk Point

Autora do artigo: colunista Esteffany  Reis – Zootecnista e Mestranda em Sanidade Animal e Saúde Coletiva 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Redes Sociais
Nossa História

Fundado em dezembro de 2015, o portal Mulheres em Campo é o primeiro site voltado ao desenvolvimento da mulher no agronegócio. Líder neste segmento há quase 3 anos, o portal vem conquistando espaço perante o setor agrícola e pecuário brasileiro. Atualmente conta com apoio de empresas de renome e é o único portal voltado para mulheres que realiza a cobertura do Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio.