Já conhece ou pratica a prova dos Três Tambores?

Você conhece a prova dos Três Tambores? Para quem não conhece, essa é uma modalidade esportiva que alia agilidade e coordenação entre competidor e  cavalo. 

Objetivos da prova:  contornar os três tambores de 200 litros (vazios) dispostos em forma de triângulo na arena, com distância de 30 metros entre eles. A contagem do tempo é feita a partir do momento em que o focinho do cavalo do competidor passa pela linha de partida.  Ganha o competidor que fizer a prova com perfeição e no menor tempo. 

De acordo com o Blog Rodeo West, as regras do esporte são: contornar o primeiro tambor com um giro de 360°, da esquerda para a direita; e os dois últimos tambores também em 360º, porém, da direita para a esquerda. Após realizar o contorno dos três tambores o participante deverá se dirigir para a linha de chegada. 

Foto da competidora Caroline Rugolo (obtida via Instagram pessoal)

As vestes também fazem parte da competição, sendo necessário o competidor estar com a roupa adequada, incluindo camisa de manga longa com punhos abotoados, calça, bota/botina e chapéu. 

Algumas regras devem ser seguidas, caso contrário, gera a desclassificação do competidor. A amazona ou cavaleiro poderão ser desclassificados quando: derrubar dois tamborescair do cavalomaus-tratos ao animal: essa é a regra mais importante da competição! Se observado maus-tratos aos cavalos, como ferimentos de chicotes, esporas ou outros objetos, o competidor será desclassificado.

A prova de Três Tambores é a única modalidade country que as mulheres participam. A primeira prova feminina de tambor foi realizada em 1948, pela Girls Rodeo Association. No Brasil, Caroline Rugolo e Fatiana Ferreira são algumas das amazonas de destaque da competição. 

Em nosso país, algumas exposições, rodeios e festas dispõem desta modalidade esportiva, assim como a Festa do Peão de Americana, que será realizada entre 14 e 23 de junho de 2019. De acordo com o site da festa, esta é a única prova feminina do rodeio:

Com até milésimos de segundos, valendo a competição, a prova conta com um sistema totalmente eletrônico. Ao ultrapassar a linha imaginária que liga um conjunto de fotocélula o cronometro é automaticamente disparado. A competidora tem que contornar 3 tambores dispostos de forma triangular no menor tempo possível. Caso venha derrubar algum tambor ela será penalizada em 5 s por tambor derrubado. Logo após a sua apresentação ela tem o seu animal vistoriado. Se tiver alguma marca proveniente de chicote/espora fora de padrão será automaticamente desclassificada. Para dar uniformidade à prova, a competidora com sua tralha deverá pesar no mínimo 65 kg. Caso isso não ocorra, há necessidade de complemento que é feito através de colocação de pesos até atingir esse numeral.


Ao site Cavalus, Larissa Rossi Dollo contou que começou sua trajetória nos Três Tambores aos 11 anos de idade, inicialmente treinando no Rancho Bem Brasil, em Americana/SP. Para Larissa, os Três Tambores têm um significado muito importante “É mais do que um esporte, é uma paixão absurda, um esporte que não penso em parar nunca na vida. Não consigo viver longe dos meus cavalos, não me vejo sem eles”, comenta a amazona.

“Minha paixão começou quando vi as meninas correrem o rodeio de Americana. Fui montar uma vez e nunca mais parei”. 

E você, é uma competidora de Três Tambores? Conta pra gente a sua experiência!
Fontes: Blog Rodeo West, CavalusFesta do Peão de Americana.

 

 
 

&nbs;

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *